Uma injustiça

 inadvertida

 

 

 

I

magine uma festa de comemoração do seu aniversário em sua casa! Ela foi organizada para comemorar mais um ano da sua vida! Todos os seus amigos; aqueles a quem você jamais negou seu apoio e carinho nas horas de aflição e que, por isso mesmo, organizaram a festa em sua homenagem, estão presentes cantando, bebendo, dançando, comendo iguarias, felizes e contentes!

 

Mas, há algo no ar... Você não recebeu nenhum cumprimento, as pessoas passaram ao largo e lhe ignoraram... Mesmo aqueles que sempre dependeram de você para solucionar graves problemas! A festa está em seu auge. Alguém pediu a palavra! Você pensou:- agora vão me parabenizar pelo meu aniversário... Todavia, todas as homenagens são destinadas a um vizinho seu que não faz aniversário neste dia... Todos a ele dirigem a atenção. Todos gastaram um pouco do que tinham para comprar presentes uns aos outros, mas nenhum para você...

 

O pior é que decoraram a casa com temas que dizem respeito a esse seu vizinho, muito conhecido por ser um cara simpático e alegre, mas que, na verdade, nunca fez nada para ninguém, entretanto, estranhamente, todos lhe atribuem uma série de qualidades que, de fato, ele nunca possuiu... Atribuem a ele a felicidade que invade os corações dos presentes...

 

Ante essa grave omissão, muita mágoa invade o seu peito. Você derrama muitas lágrimas ao testemunhar tamanha injustiça. Quanta amargura! Quanta mentira! Quanta indiferença a você que tanto os ama e sempre os auxiliou nas horas mais difíceis! Que lhes enxugou as lágrimas e lhes transmitiu a esperança de dias melhores... Tudo isso é muito triste...

 

Agora que esse quadro de dor já foi visualizado, não se espante tanto assim porque a maioria dos seres que habitam este planeta comete essa mesma injustiça todos os anos, impiedosamente! Injustamente!

 

Esse pode ser o seu caso!

 

Estou falando da lavagem cerebral dos poderosos materialistas que nos fazem crer que pinheiros, árvores decoradas, neve, 25 de dezembro e papai Noel têm alguma coisa a ver com o nascimento daquele que veio para nos salvar a todos, indistintamente de nossos pecados! Não é em todos os lares que o aniversário de Jesus é comemorado!

 

Quanta injustiça! Ao invés de lhe reverenciarem, bebem, cantam, presenteiam-se mutuamente, homenageiam papai Noel, vestem-se de vermelho etc, etc.

 

Isso decorre de uma lavagem cerebral patrocinada pelos poderosos materialistas deste planeta que encomendam esse trabalho a Hollywood e a outras inúmeras agencias de publicidade. Observem que Jesus nasceu em Belém, cidade que se situa no paralelo 31 graus e quarenta e um minutos de latitude norte e fica a 780 metros de altitude, sendo a temperatura no dia 25 de dezembro abaixo de cinco graus Celsius! Os próprios religiosos reconhecem que:

 

“Ora, havia naquela mesma comarca pastores que estavam no campo, e guardavam, durante as vigílias da noite, o seu rebanho.

E eis que o anjo do Senhor veio sobre eles, e a glória do Senhor os cercou de resplendor, e tiveram grande temor.

E o anjo lhes disse: Não temais, porque eis aqui vos trago novas de grande alegria, que será para todo o povo:

Pois, na cidade de Davi, vos nasceu hoje o Salvador, que é Cristo, o Senhor.

E isto vos será por sinal: Achareis o menino envolto em panos, e deitado numa manjedoura. Lucas 2:8-12”

 

Fica claro que os pastores somente ficavam no campo quando o clima lhes permitia pastorearem seus rebanhos que utilizavam manjedouras. No inverno, o gado permanecia na invernada. Assim, tudo indica que Jesus não nasceu a vinte e cinco de dezembro, dia dedicado pelos imperadores romanos ao Deus Sol do Mitraísmo. O dia 25 de dezembro foi escolhido porque coincidia com os festivais pagãos que celebravam a saturnália e o solstício de inverno, em adoração ao deus-sol, o sol invictus.

Segundo a página:

 

http://www.astrosurf.com/apaa/revista16.pdf,

 

................................................................................

Molnar diz que a estrela (a de Belém) não era mais do que o planeta Júpiter, que teve uma conjunção com a Lua em 17 de Abril de 6 a.C. na constelação Carneiro, o signo dos judeus. Essa conjugação não seria visível, pois se registrou perto do Sol, e apenas astrólogos a poderiam ter calculado.”

................................................................................

As datas, tanto de Ridger com de Molnar, são compatíveis com o que se admite ter sido o momento de nascimento de Cristo, situado em data incerta, entre 8 e 4 a.C., provavelmente num  mês de Abril ou Maio.

 

 

 

Outra subversão do Natal é o tal Papai Noel. Essa imagem se tornou popular nos EUA e Canadá no século XIX devido à influência da Coca-Cola que, na época, lançou um comercial do bom velhinho com as vestes vermelhas. É amplamente divulgado pela Internet e outros meios que a Coca-Cola seria a responsável por criar o atual visual do Papai Noel (roupas vermelhas com detalhes em branco e cinto preto), mas é historicamente comprovado que o responsável por sua roupagem vermelha foi o cartunista alemão Thomas Nast, em 1886, na revista Harper’s Weeklys. Essa imagem tem sido mantida e reforçada por meio da mídia e dos meios publicitários como músicas, filmes e propagandas no interesse do comércio que lucra trilhões em todo o planeta às custas de Jesus.

 

Por isso, fica claro que não têm nenhuma ligação com o nascimento de Jesus nem as renas, nem os trenós, nem o Papai Noel, nem os pinheiros, nem a neve, nem o dia 25 de dezembro! Mas, temos que comemorar o seu nascimento de alguma forma!

 

É claro que ninguém conseguirá apagar das mentes do povo aqueles símbolos que já se apegaram às tradições e aos costumes de todos. Tenha apenas em mente que, no dia de Natal, comemoramos principalmente o aniversário de Jesus!

 

Não cause, pois, tristeza nele, esquecendo o significado do Natal, o dia do seu aniversário, como o fazem bilhões de lares neste planeta!

 

Não cometa mais esta injustiça inadvertida! Agora já está claro o que significa o Natal...

 

E lembrem-se que o único presente que vocês podem dar a ele, quaisquer que sejam as suas religiões, é amarem-se uns aos outros assim como ele os amou e a Deus sobre todas as coisas!

 

Feliz Natal para todos!

 

Ibatan

© todos os artigos deste site podem ser reproduzidos desde que sejam citados o autor e a fonte.