A Vergonha Geográfica

 

Duas descobertas ocorridas em meados do século XX viriam a ocasionar grandes mudanças no comportamento social dos seres humanos, mudanças estas que, até a presente data, ainda não terminaram de produzir seus efeitos. Um chinês disse que ainda seria cedo para podermos analisar corretamente as consequências da revolução francesa. De forma similar, também parece cedo para avaliarmos o que as alterações comportamentais das descobertas citadas irão produzir na sociedade planetária.

Mas, afinal que descobertas são essas? Estamos falando da pílula anticoncepcional e do chip de silício. Ambas produziram arrasadoras mudanças globais. Senão vejamos: as pílulas anticoncepcionais, cujo uso foi aprovado e liberado pelo FDA em 1960 (e, posteriormente, a pílula do dia seguinte) ocasionaram a liberação do comportamento feminino com efeitos catastróficos para a família; base da sociedade. A esse fato veio aliar-se outro ainda mais arrasador: o chip de silício, cuja utilização maciça foi primeiramente percebida pelo uso quase indiscriminado do radinho de pilha. Esse simples, barato e cobiçado (na época) objeto seria o início de uma série de outras descobertas tornadas comerciais que intensificariam o papel da mídia e viriam a gerar a GLOBALIZAÇÃO, fenômeno que atingiu praticamente todos os setores de nossas vidas e dos diversos Estados-Nação do Globo.

Os efeitos combinados dessas duas inocentes descobertas estão sendo avassaladores. Uma de suas piores implicações foi sua influência sobre a educação dos seres humanos. A liberação feminina fez com que o casamento tradicional - até que a morte os separe – viesse a transformar-se, inicialmente, em até que nossos filhos estejam criados e, posteriormente, em – até que surja outro interesse amoroso...

Hoje, há até casamentos que duram menos do que vinte e quatro horas... Qualquer desentendimento, tão comum entre os humanos, agora, em muitos casos, passou a ser causa de separação. Os grandes perdedores foram os filhos. Muitos dos que desfizeram famílias à revelia dos interesses de seus filhos o fizeram pelo mando da globalização que, por meio da mídia, que a todos alcança, mesmo no interior de seus lares, tornou-se a grande educadora da sociedade. A MODA sempre alterou o comportamento dos grupos, todavia, com as possibilidades oferecidas pela globalização passou exercer imposições quase tirânicas sobre a sociedade.

Poucos se atrevem a desobedecê-las. Aos que têm personalidade e agem em direções contrárias toda a sorte de adjetivos pejorativos lhes é atribuída. Que ninguém se atreva a remar contra a globalização do pensamento e do comportamento social!

O pior é que a grande maioria chama isso de progresso, rotulando de conservadores aos que agem de outras maneiras. Na verdade, o que está ocorrendo é uma grande lavagem cerebral efetuada pelos interesses econômicos que lucram com tal estado de coisas. O comando dos hábitos comportamentais dos humanos faz com que se possam comercializar quaisquer itens materiais e tornar aceitáveis quaisquer comportamentos, por mais estranhos que possam parecer. Isso é feito para demonstrar, sub-repticiamente, que não devemos resistir ao que sugerem sob pena de sermos ridicularizados pela sociedade.

Nesse ponto, muitos podem estar discordando dessas assertivas. Assim, vamos demonstrar de forma irrefutável esse papel de lavadora de cérebros exercido pela mídia. Vamos falar da vergonha geográfica.

Em passado não muito distante, a vergonha atingia cada indivíduo em função de suas origens sociais e de sua cultura. Mas, hoje, isso mudou. Vejamos: se você estiver andando pelas ruas do centro da cidade e uma rajada de vento levantar, um pouco que seja, a saia de uma senhora ou senhorita observará a sua pronta reação de vergonha, usando imediatamente suas mãos para cessar a pequena revelação de seu corpo provocada pelo vento. Muitas ficarão ruborizadas pelo fato... Alguns passantes, disfarçadamente, ficarão acompanhando seus passos para ver se o vento levantará a sua saia de novo...

Mas, essa mesma mulher, quando na praia, ficará praticamente nua, usando apenas um fio dental que é na verdade uma pseudo-vestimenta que somente cobre a sua cintura na maioria dos modelos exibidos. Entretanto, caso ela tenha que ir, por um momento, até a calçada da rua que margina a praia, rapidamente, cobrirá a sua nudez geográfica com uma saída de praia. A explicação disso escapa à lógica do pensamento. A vergonha sempre foi um valor absoluto. Ou se tinha ou não se tinha vergonha. Mas, agora, ela se tornou uma variável relativa que oscila entre momentos de pudor e momentos de total sem-vergonhice!

Porque as mulheres exibem publicamente suas bundas e seios enquanto os homens cada vez mais se cobrem com bermudas compridas? Sabemos que a propaganda está ligada ao comércio. Porque fazerem propaganda de seus corpos? As respostas possíveis seriam: por vaidade, para causar inveja, para galgar uma posição em nossa fútil sociedade ou para atraírem parceiros.

 

·       A vaidade é considerada o mais grave dos pecados capitais e não precisamos falar sobre ela. Geralmente está aliada ao egoísmo de querer se sobressair entre outros ou atrair a atenção por narcisismo O que pelas lentes de alguns é asseio, glamour, fantasia, amor ao belo ou elevação da auto-estima, pelas lentes de outros pode ser (ou parecer) vaidade.

·       Querer causar inveja aos demais parece um distúrbio psíquico derivado de um complexo de inferioridade.

·       Sabemos que, hoje, pousar nua transformou-se em cobiçada fonte de renda a cada dia mais perdoada por nossa sociedade hipócrita.

·       Quanto à atração de parceiros, sabe-se que no reino animal é comum que os machos tenham que se exibir para serem aceitos por suas fêmeas. Por essa razão é que os pássaros bonitos não são as fêmeas e sim os machos.

Assim, essa inversão de procedimentos entre os humanos não é natural e atenta contra as leis que fizeram da família o alicerce da sociedade.

Ocorre também que muitas mulheres ficaram com vergonha de irem à praia usando maiôs tradicionais e serem censuradas pelas mais liberais. Assim, despem-se contra suas vontades apenas para satisfazerem ao que está em moda. Generaliza-se desse modo o comportamento. Algumas se submetem ao ridículo exibindo suas gorduras mal localizadas.

A nudez começa agora a se espalhar também pelas ruas por meio das chamadas calças “leg” ou colantes que revelam os menores detalhes do corpo. É a nudez colorida. As mulheres andam como se estivessem nuas com seus corpos pintados de outra cor. Porém essa vergonha geográfica que hoje domina a sociedade não é exclusiva das praias. Em muitos outros locais ela se faz notar, cada vez mais intensamente. Vejam o que ocorre entre os que detêm o poder... A nudez das praias acaba contribuindo para avalizar o materialismo crescente. Afinal, ela escandaliza a todos, mesmo todos fingindo que não estão escandalizados ou tentando desculpar o que não parece decente. A quem pode interessar a indecência e o exibicionismo? Para que necessitam as mulheres despirem-se desta forma para tomarem banho de mar?

Essa alteração de comportamento das mulheres não se deu por simples acaso, ela foi planejada pelas esquerdas interessadas em nivelarem tudo por baixo para poderem assumir o poder e estabelecerem o autoritarismo que lhes identifica como os regimes mais açougueiros que já existiram no planeta. Quem discordar dessa afirmativa pode conferir sua veracidade no filme

 http://www.youtube.com/watch?v=UqSmVJEIL0Q

isso se tiverem estômago para tal. As esquerdas sempre viram no conservadorismo o seu maior inimigo. era necessário destruir a família, alicerce da sociedade cristã, para poderem ter alguma chance de sucesso.

Nos anos sessenta, Mary Quant lança a mini saia. Em 1969 ocorre o festival de Woodstock, drogas, sexo e rock and roll. Foi introduzido o palavrão no teatro. Os filmes nacionais somente eram patrocinados caso mostrassem sexo, nudez, pornografia, palavrões, etc. Hollywood também foi empregada nessa lavagem cerebral. A partir do filme “007 contra Dr.No”, quando a atriz Úrsula Andrews saiu do mar usando um reduzido biquíni, a mídia passou a exibir as bundas femininas para as classes C e D (programas exibidos nas tardes de domingo). Chacrinha foi um dos primeiros. As famosas chacretes já usavam naquela época biquínis similares aos atuais. Quem não se recorda das mulatas do Sargentelli e das certinhas do Lalau - Stanislau Ponte Preta – nome que Sergio Porto usava. Ele criou a lista das “mulheres mais bem despidas: as ”certinhas”“. Sargentelli, em 1969, abriu a casa de espetáculos "Sambão", em Copacabana. Em 1970, abriu a "Sucata" e, em 1973, o "Oba Oba", casa que deu nome ao maior show brasileiro de todos os tempos. Suas mulatas que se tornaram famosas atuavam quase nuas. Os famosos shows do Walter Pinto "com mulheres mil" também contribuíram para esse propósito. No Brasil, Brigitte Bardot visitava Búzios, onde virou estátua, e exibia seu corpo publicamente, atraindo a atenção da mídia e colaborando para a alteração dos costumes femininos. Seu filme “E Deus criou a mulher” censurado em muitos países católicos foi um grande sucesso onde inaugurava cenas de nudez feminina total nas telas. O palavrão foi introduzido no teatro. Também os filmes nacionais somente contavam com patrocínio caso incluíssem cenas de sexo, pornografia, nudez e palavrões. Com o advento da televisão como eletrodoméstico indispensável em praticamente todos os lares, os novos costumes passaram a conviver no interior das famílias e a impregnarem as mentes com a ditadura da MODA. E o comportamento generalizou-se. A lavagem cerebral incessante e muito bem feita, apelando ao chamamento “drogas, sexo e rock and roll” findou vitoriosa. Em muitos lares já não há mais uma coisa que se possa chamar de família...

Fica, pois, demonstrado o poder da globalização de lavar a mente de seu público alvo.

 

Nossa sociedade está vivendo sob o império do sexo ilícito. Sexo ilícito? Sim, pois o sexo somente é lícito quando praticado por amor entre marido e esposa unidos em matrimônio. Nesse caso, o sexo é o maior dos prazeres que podem ser obtidos pelos seres humanos. Todavia, isso hoje está se tornando raro. O que abunda é o sexo egoísta, irresponsável e inconsequente, apenas por diversão, por vezes gerando filhos indesejados e abortos (homicídios). É o chamado pelos que falam inglês de “one night stand” que veio a gerar a alteração de significado da palavra “ficar” para hipocritamente representar atitude que todos sabem ser condenável, mas que se parece amenizar quando assim mencionada. É o sexo praticado quase que animalescamente. Isto é: os animais copulam para procriarem, além de por prazer e instinto...

Por todas as partes se podem observar chamamentos ao sexo ilícito. Revistas pornográficas em todas as bancas de jornais, novelas que valorizam relações sexuais ilícitas como se fossem coisa normal, filmes e peças de teatro que apenas falam disso e sugerem isso, bailes funk nos quais o sexo ilícito é encorajado e, por vezes, até praticado. Programas de TV que exibem quase que explicitamente o sexo, como os big-brothers, as fazendas e outros, e os insistentes apelos ao homossexualismo nas novelas, nos programas de TV, nos filmes e  até no Congresso Nacional.

Esses comportamentos modernos hetero e homossexuais apenas produzem muita infelicidade e o mal do século: a depressão. Mas, cada um é livre para escolher o seu próprio veneno...

A valorização das formas físicas, hoje apregoadas ao extremo, também tem algo a ver com isso. É necessário ter um corpo “sarado” não pela saúde, mas para atrair mais parceiros. A apologia ao homossexualismo tornou-se palavra do dia e essa opção é apresentada nas novelas como se fosse o normal. Nesse ponto, é necessário dizer que nada tenho contra o homossexualismo que é uma escolha dos seres humanos, direito conferido por Deus ao criar a lei do livre arbítrio. Entretanto, para que fazer propaganda de uma opção sexual? As leis existentes já protegem todos os indivíduos. Porque se fazem manifestações que atraem milhares de pessoas para defenderem os direitos dos gays e não ocorre o mesmo para protestar-se contra a corrupção generalizada e a falta de segurança de todos (não somente dos gays)?

Bem..., mais recentemente, parece que muitos se deram conta de que suas mentes foram lavadas para que não percebessem o bacanal político de Brasília e decidiram reclamar. Todavia, essas reclamações foram detonadas por simpatizantes da extrema esquerda (que foram presos em Brasília e confessaram pertencer ao PSOL) com intenções apenas voltadas para a próxima eleição. Será que o povo vai voltar para as ruas para solicitar seus legítimos direitos? É muito difícil que consigam algo, a menos que nomeiem um líder. Sem ele, tudo se esvairá pela obra da mídia que puxa os cordões do povo tal qual fossem marionetes.

Nessa altura, o leitor deve estar perguntando o que isto tem a ver com Estratégia? Tem tudo a ver. Esse comportamento tornado possível pelas descobertas citadas e pela globalização foi sugerido às mentes laváveis apenas por estar em compasso com o decálogo de Lênin, o qual caiu como uma luva para as necessidades dos que detêm o poder mundial que, hoje, apóiam as esquerdas para tentarem retardar o progresso dos países subdesenvolvidos - em especial o do Brasil! Senão vejamos:

1913, Rússia - Decálogo de Lênin -Lênin traça o rumo a ser seguido pelos comunistas para que sejam criadas as condições para a tomada e permanência no poder sobre os escombros da sociedade capitalista e da burguesia...

Julgue você mesmo se isso lhe recorda alguma coisa...

 

1)Corrompa a juventude e dê-lhe liberdade sexual;

2)Infiltre e depois controle todos os veículos de comunicação de massa;

3)Divida a população em grupos antagônicos, incitando-os a discussões sobre assuntos sociais;

4)Destrua a confiança do povo em seus líderes;

5)Fale sempre sobre Democracia e em Estado de Direito, mas, tão logo haja oportunidade, assuma o Poder sem nenhum escrúpulo;

6)Colabore para o esbanjamento do dinheiro público; coloque em descrédito a imagem do País, especialmente no exterior e provoque o pânico e o desassossego na população por meio da inflação;

7)Promova greves, mesmo ilegais, nas indústrias vitais do País;

8)Promova distúrbios e contribua para que as autoridades constituídas não as coíbam;

9)Contribua para a derrocada dos valores morais, da honestidade e da crença nas promessas dos governantes. Nossos parlamentares infiltrados nos partidos democráticos devem acusar os não-comunistas, obrigando-os, sem pena de expô-los ao ridículo, a votar somente no que for de interesse da causa socialista;

10)Procure catalogar todos aqueles que possuam armas de fogo, para que elas sejam confiscadas no momento oportuno, tornando impossível qualquer resistência à causa...

 

Nos anos oitenta, os poderosos concluíram que a única solução que lhes restava para adiarem a explosão da bomba ecológica e manterem suas vantagens nas trocas comerciais (cereais e matérias primas por produtos de alto valor agregado) seria apoiarem o comunismo que retardou o crescimento econômico de todos os países que o adotaram. Assim o fizeram, egoisticamente, pois não pensam em alterar a matriz energética e a produção de matérias primas nocivas ao meio ambiente, mas têm que reduzir a produção de lixo industrial e de outros poluentes que representam ameaça catastrófica à vida animal. Também não podem admitir o desenvolvimento tecnológico, científico e dos setores secundário e terciário das economias dos países em desenvolvimento. Por isso, esse decálogo lhes tem sido tão útil. Ele auxilia a implantação das idéias de esquerda que findam gerando a corrupção moral que retarda ou impede o crescimento econômico gerador dos problemas ecológicos.

É preciso rever a história das civilizações e ter em mente que a degradação moral da sociedade sempre precedeu o seu fim. Se atentarmos para o crescente número de crianças abandonadas nas ruas, órfãos de pais tradicionais, muitos adotados pelo tráfico de drogas; se lançarmos um olhar para as injustiças sociais, para a saúde da economia global, para a ecologia, para o clima e para a honestidade dos governantes, de muitos juízes e de quase todos os políticos perceberemos para onde a dita globalização e o enfraquecimento da instituição família estão nos conduzindo.

Somente a compreensão do que estamos fazendo aqui nesta encarnação poderá nos conduzir a caminhos corretos e proveitosos. Para esse mister, será necessário que a globalização seja empregada para educar e não para os louros do materialismo, da vaidade, do exibicionismo, da futilidade e do sexo ilícito. Tudo o que existe pode ser usado para o bem ou para o mal. Uma simples faca pode passar manteiga no pão ou matar.

Carlos Hernán Tercero