A importância dos cenários

 

 

As piores mentiras são as meias verdades, pois elas somente

podem ser refutadas por quem seja capaz de lhes

acrescentar a metade suprimida...

 

 

N

ão é possível tirarmos conclusões acerca de fatos passados sem que, antes, recriemos, com a maior precisão possível, o cenário que os produziu. Essa é a imposição que norteia, por exemplo, os investigadores policiais quando tentam descobrir os culpados pelos crimes que tentam deslindar. Eles isolam a cena do crime, recolhem todas as evidências, entrevistam ou inquirem testemunhas, enumeram suspeitos, tomam nota, fotografam tudo no intuito de recriar os cenários anteriores e presentes no momento em que o crime foi cometido.

 

Infelizmente, na vida real, a grande maioria das pessoas repassa informações sem que procedam da forma citada. Assim surgem as falsas verdades, comumente chamadas de fofocas... Mas, a pior faceta da ignorância dos cenários é que ela torna possível a importação ou criação de falsos cenários – a grande arma dos criminosos.

 

A criação de cenários pode inverter a verdade de forma espetacular e imperceptível aos olhos mais incautos... Pior ainda é a importação parcial de cenários, hoje, tão em moda pelos que assumiram o poder pelo uso desta prática. É sobre isso que vamos falar.

 

Se você discordou do que foi exposto, tente explicar para uma criança, sem recriar cenários, que o Papa dividiu o planeta ao meio, ofertando uma metade para Portugal e a outra para a Espanha... Se você explicar o mundo de 1494 ela entenderá, caso contrário, mesmo sendo inocentes essas crianças recomendarão interná-lo em um hospício...

 

Mas, se você explicar que tanto a Espanha como Portugal tiveram a primazia de efetuar as grandes navegações com suas caravelas; que descobriram o caminho marítimo para as Índias e o Novo Mundo; antes de qualquer outra potência; então ela poderá entender o que foi o Tratado de Tordesilhas que definiu estas metades numa linha de demarcação situada sob meridiano que passava a 370 léguas a oeste da ilha de Santo Antão, no arquipélago de Cabo Verde. Esta linha estava situada a meio-caminho entre estas ilhas (então portuguesas) e as ilhas das Caraíbas descobertas por Colombo para a Espanha. Sem isso, as crianças pensarão que você não regula muito bem...

 

Mesmo as mentiras mais descaradas, quando são repetidas milhares de vezes por pessoas importantes tornam-se verdades nas mentes pobres, conforme bem o sabia Goebbels, ministro da propaganda de Hitler... Este indivíduo, pródigo em recriar cenários a seu bel prazer, da mesma forma como fazem os nossos atuais governantes, teve que levar a efeito a total queima de livros que contrariassem as suas verdades para dificultar a refutação de suas idéias sinistras. Isso ocorreu entre 10 de maio e 21 de junho de 1933, poucos meses depois da chegada ao poder de Adolf Hitler.

 

Em várias cidades alemãs foram organizadas queimas de livros em praças públicas, com a presença da polícia, bombeiros e outras autoridades. Tudo o que fosse crítico ou desviasse dos padrões impostos pelo regime nazista foi destruído. Centenas de milhares de livros foram queimados no auge de uma campanha iniciada pelo diretório nacional de estudantes, em particular os estudantes membros das SA e SS .

 

 

A organização deste evento coube às associações de estudantes alemãs, que, com grande zelo, competiram entre si, tentando cada uma provar que era melhor do que a outra. Foram queimados cerca de 20.000 livros, a maioria dos quais pertencentes às bibliotecas públicas, de autores oficialmente tidos como "pouco alemães".

 

Os estudantes por sua incipiente experiência e grande vigor sempre são recrutados para os atos condenáveis e sinistros dos comunistas. Suas mentes são fáceis de lavar e eles adoram badernas que os livrem dos enfadonhos estudos... São um prato feito!

 

 

No Brasil, suas mentes são lavadas pelos atuais livros didáticos, pela imprensa comprada, por Hollywood com seus filmes, pelo teatro, pela censura das esquerdas que não admitem que contrariem suas traiçoeiras verdades... Nas escolas, os professores incutem cenários parciais em suas mentes. Caso algum professor tente desmascarar esse estado de coisas, ensinando a verdade histórica dos fatos, pode ser agredido pelos movimentos fanáticos de esquerda, ou mesmo demitido... Dessa forma, formam-se em nossas escolas fanáticos na defesa de falsas verdades criadas com o propósitos políticos... Sem que leiam livros de correntes contrárias às esquerdas (o que foi dificultado pelo uso intensivo de celulares pelos jovens que recebem as informações empacotadas pelos poderosos) fica difícil contradizê-los. O país cada vez mais mergulha na corrupção que caracteriza a esquerda no poder...

 

A cOMISSÃO da verdade (constituída, integralmente, pelo lado que apóia os guerrilheiros criminosos) age de forma similar, omitindo os cenários que lhes condenam por suas ações traidoras ao lutarem para findarem com nossa democracia e nossa soberania, subordinando o Brasil à URSS e implantando aqui a ditadura do proletariado (que, hoje, virou a ditadura do estelionatariado...).

 

Para recuperar a verdade, ainda nos resta recorrermos à Biblioteca Nacional, cujos registros jornalísticos microfilmados, creio, ainda não foram adulterados, conforme deve ser a vontade dos poderosos.

 

Outro exemplo de uma mentira que virou verdade por seu cenário ter sido alterado por autoridades religiosas é a história do coelho e dos ovos de Páscoa. A origem desta tradição milenar foi adulterada pelos poderosos, apesar de toda a falta de lógica de que se reveste a explicação dada de que os coelhos presenteiam as crianças com ovos para comemorar-se a Ressurreição de Cristo! Grande lavagem cerebral que infesta a mente de muitos milhões de humanos...

 

Há alguns milhares de anos, cultuava-se a Deusa Osterana (a Deusa da Fertilidade). Naqueles tempos, as mulheres tinham que auxiliar nas colheitas e não poderiam ter filhos nessas ocasiões. Assim, tinham que engravidar em março, para que o parto ocorresse em dezembro, quando era inverno e seus maridos as pudessem auxiliar, pois não tinham que trabalhar nos campos. 

 

Para isso, uma grande orgia era organizada no dia da Deusa Osterana, o dia do equinócio de outono – vinte e um de março. Nesse dia, todos se reuniam num monte elevado, acendiam-se fogueiras e as mulheres eram engravidadas. Todavia, como existiam animais ferozes à solta, eles esperavam a primeira noite de lua cheia após esse dia para realizarem o evento. É da deusa Osterana que derivam as palavras: easter (páscoa em inglês), esterilidade, histerectomia e útero, por razões óbvias.

 

Quando o Papa estabeleceu o dia da comemoração da Ressurreição de Cristo, seguiu o costume pagão. A nossa páscoa ocorre no primeiro domingo, após a primeira lua cheia, após o dia do equinócio de outono! O que tem a ressurreição a ver com isso? Nada!

 

É por isso que existem os ovos (do útero feminino) e os coelhos (os animais que mais copulam). Esse é um grande exemplo de lavagem cerebral, similar ao que foi o estabelecimento da data do nascimento de Jesus no dia vinte e cinco de dezembro, em pleno inverno, quando segundo a “palavra de Deus”: “Ora, havia naquela mesma comarca pastores que estavam no campo, e guardavam, durante as vigílias da noite, o seu rebanho. Lucas 2:8”.

 

É claro que, se os rebanhos não estavam na invernada, é porque não era inverno... Numa manjedoura seria difícil dar à luz no inverno...

 

Mas, discutir as escrituras não é o propósito deste texto... Vamos falar é da hipocrisia e covardia da mídia, dos professores, das Universidades, das Escolas, dos políticos, de muitos juizes, da OAB, do ministério público etc. que se valem de meias verdades para condenarem os governos militares que construíram este país. Eles conseguem lavar as mentes das pessoas que não estudaram a fundo estratégia e política, recriando falsos cenários, omitindo muitos fatos cuja omissão lhes enche de razões e pretensos direitos e, mais do que tudo, lhes propicia a sua manutenção no poder do qual se valem para enriquecerem às custas do dinheiro do povo!

 

Vejamos o poder de alterar-se um cenário: Um marido, ao ver a foto de sua esposa saindo de um motel abraçada a um homem, ficou furioso e começou a pensar em separação. Mas, se ele soubesse que a metade do fato tinha sido suprimida... Que sua mulher havia socorrido um idoso que foi atropelado na porta do motel e que ela havia lhe amparado e levado para tomar uma medicação no interior do edifício em frente ao local do atropelamento... bem, tudo seria muito diferente... Esse é o poder da alteração de cenários. Ela pode inverter completamente o sentido dos fatos passados.

 

É exatamente isso o que fazem a imprensa, a universidade, os filmes, as peças de teatro, a escola e todos os organismos dominados pelos comunistas derrotados pelos governos militares para que lhes seja atribuída uma razão que não possuem e para esconderem os feitos dos governos que os combateram em defesa da segurança dos brasileiros, segurança essa ameaçada por suas bombas, justiçamentos, assaltos, sequestros, tiros etc.

 

Hoje, poucos sabem qual era o propósito dos guerrilheiros que participaram da guerrilha urbana e rural contra os governos militares. Eles seguiam as instruções emanadas da Terceira Internacional Comunista que visava submeter o planeta à URSS.

 

 

Em 1919, logo após a vitória dos comunistas na Revolução Russa, foi criada a III Internacional, ou Internacional Comunista, ou ainda Komintern. Seu principal objetivo era criar uma União Mundial de Repúblicas Socialistas Soviéticas. Dominada pelo Partido Comunista da União Soviética, a Internacional emitia diretrizes que deveriam ser seguidas por todos os seus filiados, inclusive o Partido Comunista do Brasil. Foi exatamente por esse motivo que esse partido foi considerado ilegal quando se filiou a essa Internacional em 1924. Seu propósito de findar com a soberania nacional se voltava contra a nossa Constituição.

 

Em 1943, em plena Segunda Guerra Mundial, a Internacional Comunista foi dissolvida com a finalidade de tranqüilizar os aliados ocidentais da União Soviética. Mas, isso foi para diminuir a aversão dos povos à expansão soviética. Morto em aparência o expansionismo comunista, a opinião mundial aceitaria com muito menor relutância essa expansão. Muitos ingênuos, iludidos pela hipótese de que a III Internacional havia sido dissolvida tenderiam a aceitar a adesão a um comunismo disfarçado. Um comunismo que fará tudo para ser mais radical. Um comunismo idêntico ao socialismo condenado por Pio XI em termos tão severos que escreveu na Encíclica Quadragésimo Anno que o católico não pode ser ao mesmo tempo socialista e católico. E esse inimigo oculto se tornou mil vezes mais perigoso do que seu antecessor que reconhecia publicamente o assassinato da burguesia como sendo imprescindível à vitória.

 

Vejamos algumas frases extraídas do Manifesto Comunista e da Terceira Internacional:

 

·      “Os comunistas não se rebaixam a dissimular suas opiniões e seus fins. Proclamam abertamente que seus objetivos só podem ser alcançados pela derrubada violenta de toda a ordem social existente. Que as classes dominantes tremam à idéia de uma revolução comunista! Os proletários nada têm a perder nela a não ser suas cadeias. Têm um mundo a ganhar”.

·      “A luta do proletariado contra a burguesia, embora não seja na essência uma luta nacional, reveste-se, contudo dessa forma nos primeiros tempos. É natural que o proletariado de cada país deva, antes de tudo, liquidar sua própria burguesia”.

·      “A revolução mundial, isto é, a destruição do capitalismo, a concentração das energias revolucionárias do proletariado e a sua organização em força agressiva e vitoriosa exigirão um período muito longo de combates revolucionários”.

·      “Os comunistas também estão dispostos a marchar com os operários social-democratas, cristãos, sem partidos, sindicalistas, etc., que ainda não reconhecem a necessidade da ditadura do proletariado. Os comunistas podem, em certas situações e com determinadas garantias, apoiar um governo operário não comunista. Porém os comunistas deverão explicar a qualquer preço à classe operária que sua liberação só poderá ser assegurada pela ditadura do proletariado”.

·      “A Internacional Comunista deve ser organizada cada vez mais como partido comunista mundial, encarregado da direção da luta em todos os países”.

 

Era isso o que norteava, nos tais anos de chumbo (chumbo deles com suas bombas...) os que, hoje, tomaram o poder por meio da infiltração e influencia nas mentes dos jovens nas universidades e escolas durante décadas. Para isso, contaram com o apoio da mídia internacional que, com a total mudança de cenário ocorrida com a previsão estratégica da falência do comunismo em curto prazo, passou a apoiar o movimento comunista internacional no intuito de retardar o crescimento econômico dos países em desenvolvimento que, certamente, lhes poderia trazer prejuízos... Afinal, o que eles sempre desejaram era que produzíssemos cereais e exportássemos matérias primas enquanto importando produtos com alto valor agregado... Exatamente como estamos fazendo agora...

 

Os que criticam os atos de repressão ocorridos nos tais anos de chumbo (chumbo deles) não imaginam o cenário vivido naqueles dias. Hoje, é fácil saber que o número e os recursos dos que integravam os quadros subversivos não justificava a magnitude da reação militar. Entretanto, naquela ocasião, quem seria capaz de responder com total segurança as seguintes perguntas, considerando os métodos torpes empregados pelos comunistas, a extensão do território nacional e a gama de recursos destinados ao fomento da revolução comunista pelos albaneses, chineses e soviéticos, isso sem mencionar os cubanos?

 

Ø Qual era o vulto das organizações terroristas?

Ø Onde estavam baseadas?

Ø De que recursos dispunham?

Ø Qual era o seu armamento?

Ø Quais eram as suas linhas de suprimento?

Ø Quantos   indivíduos    encontravam-se  em   treinamento   no exterior? Em 1962, centenas deles estavam sendo treinados na China e em Cuba para promoverem o costumeiro morticínio aqui...

Ø Quais seriam as táticas e a estratégia a serem empregadas?

Ø Quantos   políticos    e    funcionários    do    Estado    estavam comprometidos com aquelas forças?

Ø Quantos agentes estrangeiros haviam se infiltrado no país?

 

Nossas Forças Armadas jamais seriam perdoadas pelo povo se subestimassem, como as de alguns países vizinhos, a estatura de poder dos que queriam submeter o país à tutela chinesa ou soviética. Assim, agiram com profissionalismo, adotando o método de planejamento militar que considera todas as possibilidades do inimigo ao invés do que leva em conta apenas as suas ações mais prováveis. Sabe-se que considerar apenas as ações mais prováveis do inimigo constitui um meio barato de conseguir-se a derrota. Foi por ter se preparado para oferecer combate a toda e qualquer ação possível de ser adotada pelos terroristas que a repressão teve sua magnitude aumentada. Esse foi também o segredo de seu sucesso. Na Colômbia, isso não ocorreu. Os colombianos, hoje, lamentam cerca de quarenta e cinco mil mortes ocorridas na guerra contra os narcoterroristas das FARC, aliados de lula e dilma...

 

Estejamos alertas para que, hoje, não tenhamos que regressar ao triste passado de combate às ações terroristas.

 

Para finalizar, observemos que a lavagem cerebral efetuada nos jovens durante as últimas décadas pela mídia internacional e pelos nossos professores, artistas, cineastas e jornalistas é, de fato, poderosa... A lavagem cerebral pode ser percebida quando alguém abandona a sua própria lógica, ignorando fatos conhecidos e que contrariam a sua linha de pensamento, aceitando, irrefletidamente, julgar algo com dois pesos e duas medidas como se fosse coisa normal.

 

Esse, por exemplo, é o caso da nudez das mulheres nas praias. Elas somente ficam nuas nas praias. Nas calçadas que as delimitam, a poucos passos de distância, cobrem-se com qualquer coisa para não revelarem seus corpos, como se fizesse qualquer diferença (notem a total falta de lógica). E, se por acaso você lhes mencionar o fato será acusado de várias coisas... É a chamada vergonha geográfica...

 

A lavagem cerebral comunista se baseia, exatamente, na alteração de cenários e na lavagem cerebral. Vejamos: os que apóiam os comunistas chegam a tatuar a imagem de che guevara em seus corpos. A lavagem cerebral e a alteração de cenários os fazem esquecer que ele matou, sozinho, em alguns dias, o dobro dos seres humanos que perderam suas vidas em vinte e um anos de combates contra os brasileiros, durante os governos militares... Muitos esquecem, inclusive, que ele adorava matar homossexuais.

 

Suas vítimas, diferentemente dos desaparecidos nos anos de chumbo, não eram combatentes traiçoeiros que adotavam o Manual da Guerrilha Urbana, elaborado pelo perigoso marighella, mas presos políticos, jornalistas, artistas, enfim, pessoas  inocentes que pensavam de modo diverso e que foram fuzilados com suas mãos amarradas nos paredões. Não percebem quantos cubanos arriscam suas vidas e de seus parentes contra os tubarões do Caribe apenas para fugirem da ditadura da família castro, apoiada pelos EEUU...

 

Se ainda lhe resta um pouco de lucidez e amor à lógica, procure recriar, rebuscando em livros de correntes opostas, na Biblioteca Nacional ou em qualquer fonte insuspeita os cenários que deram origem aos fatos acerca dos quais você deseja tirar qualquer conclusão... Não seja mais um filhote da cultura de jornais, teatro, cinema e televisão... Isso, é o que os poderosos deste planeta desejam que você faça... eles facilitarão sua cultura parcial para continuarem a usufruir alta qualidade de vida, mesmo na iminência da Guerra d’Água...

 

 

Carlos Hernán Tercero

© todos os artigos deste site podem ser reproduzidos desde que sejam citados o autor e a fonte.